Pastoral Educativa

Com base na missão e nos valores institucionais das irmãs agostinianas missionárias, de onde emanam pressupostos que fundamentam a dinamicidade do agir formativo, é que a pastoral busca traduzir e concretizar sua resposta de compromisso e serviço, visando promover a formação integral da pessoa. E como a escola encontra-se fundamentada num projeto de investimento formativo visando ação de transformação, intervenção e construção da pessoa e da cidadania, a esse integra toda uma perspectiva antropológica e teológica, atribuindo forte sentido para ser compreendida a partir do binômio – educar evangelizando e evangelizar educando, – “a ação educativa Agostiniana é primordialmente evangelizadora. Sua identidade se especifica por seu caráter de educação e promoção de homens e mulheres, em vista de sua plena realização”. (Projeto Educativo, 2008, p, 12)

Sendo confessional, católico e com espiritualidade Agostiniana Missionária, o Colégio Cristo Rei visando à construção do homem novo, encontra a caracterização e fundamentação de sua missão nos princípios filosóficos de Santo Agostinho, assumido como Pai, mestre e fonte.  Desse modo, destaca-se que o nosso comprometimento, enquanto comunidade educativa se consolida no esforço contínuo, de contribuir para a concretização de uma proposta formativa sólida e significativa aos educandos – educação para autonomia, para a liberdade -, educação para a construção do humano.

Com base nos princípios orientadores da espiritualidade das missionárias agostinianas, considera fundamental pensar numa proposta de pastoral escolar que pretende ascender o educando, como ponto central do processo formativo, com vistas a torná-lo/as um jovem protagonista, cidadão competente, transformador, multiplicador e responsável, – um ser em mudança e para mudança-.

Aspirando trabalhos e atividades que concedam abertura fecunda para o exercício do diálogo, do respeito, da fraternidade, da solidariedade social, da autonomia, bem como para o reconhecimento de causas e situações que caracterizam o processo de marginalização, do fenômeno da violência e outros, apresenta-se a pastoral no esforço em estimular uma cultura que preze a busca pelo sentido do humano. Com isso, demanda a busca e o discernimento por propostas que sejam ricas e sólidas, visando contribuir na construção de um caminho capaz de superar conflitos e que ajude a explicitar a dimensão de sentido sobre o valor da vida e comprometimento com a dignidade humana.

Portanto, a partir dessa percepção, empenhando em propostas de prevenção em diversas questões que impactam a trama da vida, que afetam as relações humanas e que se apresentam como cegueiras intencionais, verifica-se que nossa ação educativa-pastoral, desdobra-se com comprometimento na construção da pessoa, em suas diversas dimensões, de modo especial no sentido por um agir livre e responsável.

Por isso, temos por meta, principalmente aos estudantes, propor espaços, momentos e encontros, capazes de ajudá-los/as e despertar para um descortinamento de desafios, limites e possibilidades da existência humana; bem como de reflexões e discernimento que os/as levem a um entendimento sério e coerente da existência de valores na ação humana, que contemple uma sensibilidade humana, responsável e ética.

Nessa perspectiva, seguindo alguns critérios orientadores em detrimento do objetivo e da proposta pensada, faz saber que a organização e planejamento da pastoral encontram-se estruturado mediando alguns trabalhos, tais como:

  • Celebrações com ênfase proposta pelo calendário do ano litúrgico da Igreja e celebrações pautadas na espiritualidade Agostiniana;
  • Experiência de fé da vida sacramental;
  • Espiritualidade e formação docente;
  • Celebrações eucarísticas;
  • Celebrações, homenagens e atividades culturais;
  • Atividade de Voluntariado;
  • Formação humana e Espiritualidade discente;
  • Projetos, Campanhas e doações;
  • Encontros formativos com as famílias;
  • Acampamento;
  • Trabalhos de prevenção;
  • Atividades de orientação e escuta;
  • Atividades de convivência;